quinta-feira, 8 de abril de 2010

PRA NÃO ATROFIAR, USAR

Vergonhosamente passei mais de um mês sem publicar qualquer coisa neste blog. Não por falta de vontade, ou tempo, mas por preguiça e outros afazeres que foram se mostrando mais prazerosos.
Tenho "andado" bastante pelo Twitter que acho ágil, divertido e com possibilidades de assuntos diversos ao mesmo tempo. Continuo visitando blogs com fotos lindas, com receitas gostosas, algumas até sendo repetidas em casa.
Filhos continuam sendo levado para escola e para o dentista, cahorro pra tomar banho, refeições rápidas e simples, frio chegando, trabalho farto, viagem à vista para a próxima segunda.
E como nossos músculos e órgãos que quando não usamos se atrofiam, decidi que tinha de atualizar este tal de blog antes que desista de vez.
Há algum tempo havia deixado nos rascunhos a foto desta costelinha com quirera que fiz em um sábado que já vai longe.




Modo de fazer, para quatro pessoas:
Hidratar em água morna, duas xícaras de quirera
Temperar com alho e sal a costelinha de porco, de preferência no dia anterior.
Antes de começar a fritar a carne, bastante água fervendo ao ladinho da panela.
Em uma panela alta (que pode ser a de pressão), coloco um pouco de óleo e vou fritando a costelinha. Conforme ela vai dourando vou pingando água quente e mexendo bem. Quando fica bem morena, junto bastante cebola e alho picado, testo o sal e junto água quente que dê pra cozinhar/amolecer a carne. Nessa hora a pressa pode pedir a panela de pressão.
Quando a carne está bem cozida, retiro da panela com uma escumadeira e reservo. No líquido, junto a quirera e em fogo baixo e panela tampada, vou mexendo de vez em quando até a quirera amolecer. Se necessário vou juntando mais água quente.
Quando a quirera está pronta, volto a carne para a mesma panela, deixo um pouquinho juntas para uma doar sabor pra outra e pronto.
Neste dia comemos com arroz branco, verdura refogada, saladinha de tomates e batatas coradas no forno.

9 comentários:

Gina disse...

Ana, gostei do jeito peculiar sobre o modo de fazer o prato.
Não deixe atrofiar, não, viu?
Bjs.

Marly disse...

Oi, Ana,
Isso é simplesmente delicioso, aliás, não é à toa que a costelinha com quirera é um dos pratos mais apreciados da culinária mineira, né? É um prato gostoso e substancioso!

(ah, Ana, se possível, atualize a data da postagem, pois no meu blog está aparecendo como se tivesse sido publicado 4 meses atrás).

Beijinho e boa tarde.

Roberta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Goreti disse...

Ana, não é privilégio seu ausentar-se da blogsfera...nào perdemos o gosto, mas acabam aparecendo compromissos de maior relevância, e como não sou nada ágil pra fazer um post, tenho tbm andado com umas preguicites, mas estou sempre passeando por aí. Não quero perder o gosto não!


Beijos!!!

Cris disse...

Moçinha!!
Veja se não some hein... rsrsrs
Amei o prato, hummm que delícia!

Bjs querida!

Marcia disse...

É, não deixemos atrofiar.
Também ando espaçando minhas postagens, mas sempre apareço por aqui.
Abraço

Maria Lúcia disse...

Oi
Porque quarta feira de agosto.
Ai que delícia
é de lamber os dedos Hummm.
Boa restinho de domingo
e uma super semana.
Beijos...
Lúcia.

Cozinha Mágica disse...

Olá, meu nome é Sonia, estou iniciando um blog de receitas, já que adoro cozinhar e gostaria de partilhá-las com você.

Quando puder me faça uma visitinha!

http://minhacozinhamagica.blogspot.com

Beijos!

Paula Pacheco disse...

O mulher...que desanimo é esse com seu blog, vamos lá...força na paçoca amiga,adoro quirera com costelinha nham nham nham
bjs
Paula